Abuso da voz pode causar disfonia

A voz é um dos principais instrumentos do ser humano. A ela está associada a manifestação da comunicação: é por meio dela que falamos, cantamos, gargalhamos, choramos e gritamos. Quando a voz apresenta alterações, como falha de projeção ou quaisquer outras dificuldades de emissão, acontece o distúrbio de disfonia.

O mau uso e o abuso da voz são algumas das causas dessa alteração. Geralmente, ela ocorre quando não há um preparo técnico e as cordas vocais são utilizadas além dos limites saudáveis. Nesse caso, o distúrbio é caracterizado como funcional, por não haver alterações anatômicas nas pregas vocais.

Alguns comportamentos podem contribuir para o abuso vocal, como os seguintes:

  • gritar muito;
  • possuir crises de tosse;
  • utilizar álcool e cigarro;
  • exigir força das cordas vocais para conseguir falar em ambientes barulhentos;
  • utilizar tons errados para seu timbre: ou muito agudo ou grosso;
  • falar muito;
  • discutir com frequência;
  • usar a voz para cantar abusivamente.

Inadaptações vocais e alterações psicoemocionais, como ansiedade, medo e raiva, são outros fatores que podem, além do uso indevido da voz, causar a disfonia funcional.

Sintomas do problema

Um dos sintomas mais conhecidos é a rouquidão. Mas, além desse, também são indícios:

  • afonia;
  • esforço e dificuldade para falar;
  • projeção fraca;
  • deficiência vocal;
  • variações de frequência da voz;
  • dor ao tentar falar;
  • falta de ar;
  • engasgos frequentes.

Outros causadores da disfonia

Essa disfunção da voz é dividida em mais duas categorias além da funcional: a orgânica e a orgânica-funcional. Cada uma possui características e causas próprias.

Diversos fatores podem provocar a disfonia orgânica, que costuma ocorrer quando há alterações anatômicas nas pregas vocais, como inflamações, infecções, neoplasias e distúrbios neurológicos. Já a forma orgânica-funcional se dá quando a disfonia funcional não é tratada e acaba provocando uma lesão nas pregas vocais.

Prevenção da doença

Como o abuso de voz é um fator comportamental, a mudança de hábito é a melhor forma de prevenção. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados básicos como:

  • beber água em temperatura ambiente e em quantidade necessária para o bom funcionamento do organismo e, também, das pregas vocais;
  • não gritar ou falar alto;
  • evitar o uso de cigarro e álcool.

Pessoas que trabalham diretamente com a voz, como atendentes de telemarketing, professores e cantores devem ter cuidados especiais para garantir a saúde vocal, como a prática de exercícios para fortalecer e preparar as pregas vocais para o seu uso excessivo.

Como tratar a disfonia

O tratamento é feito com o médico otorrinolaringologista. Em alguns casos, é necessário um tratamento multidisciplinar com um fonoaudiólogo. A primeira medida a ser tomada é o repouso da voz e a verificação do agente causador da patologia.

Para concluir o diagnóstico, o otorrinolaringologista faz exames clínicos e de imagem, com o objetivo de identificar o que causou a disfunção e seu grau de intensidade. Nos casos em que a disfunção é orgânica e orgânica-funcional, é possível que o médico recomende a cirurgia para a retirada de pólipos e tumores, por exemplo.

Já a disfonia funcional, é ocasionada pelo abuso da voz e, por isso, é preciso apenas uma mudança de costume. Ignorar o problema e manter maus hábitos é o que pode ocasionar problemas mais sérios, como no caso de nódulos e lesões que podem surgir em casos de não tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Amim Felipe